Depressão

Tem cura quando tratamos os
processos auto-obsessivos e obsessivos

Controvérsias diversas tem com referência a depressão. Pessoas que não acreditam na cura e vivem uma vida inteira na dependência de medicamentos tratando apenas os sintomas. Medicamentos não curam, apenas anestesiam o sistema nervoso diminuindo os sintomas.

Só existe a possibilidade de curar uma doença quando encontramos a sua origem. Com a depressão não poderia ser diferente.

Quando entendemos e aceitamos que somos muito mais que um corpo físico, nos abrimos para um leque de possibilidades, inclusive, que a cura da depressão é possível sim, pois se trata de processos auto obsessivos e obsessivos.

Pessoas que passam por esse problema sentem que o brilho da vida vai se apagando dia após dia e, muitas vezes, acabam cometendo o suicídio, pensando assim, resolver todos os seus conflitos, todas as suas dores. Tolo engano! Quando desencarnam e do outro lado (outra dimensão) se dão conta que suas dores continuam e em um processo muito mais intenso, posto que sem a matéria, tudo é mais acelerado, mais doído, mais sofrido e esse sofrimento é potencializado por sentimentos de arrependimento, culpa, remorso. Ou seja, quando desencarnamos continuamos vibrando na mesma frequência, sem contar que somos presas fáceis de seres obsessivos e trevosos.

Os processos depressivos iniciam por sentimento de frustração, de perda, luto, mágoa, solidão, rejeição, abandono, culminando com sensações de fracasso, incompetência, desânimo onde se perde a vontade de viver, de continuar lutando. Em casos mais severos a pessoa deixa de trabalhar, comer e até tomar banho, passando dias em cima de uma cama. E esse sofrimento envolve a todos que convivem com aquela pessoa, pois se sentem impotentes diante de tal situação.

A depressão é um processo auto obsessivo e obsessivo, onde o tratamento inicia por Apometria, que é uma técnica terapêutica para tratar distúrbios espirituais, sem nenhum dogma religioso.

Como acontece esses processos:

1.Como falei tudo inicia mediante uma dor, a qual a pessoa não consegue sozinha superar. A partir do momento que afunda na tristeza, no desânimo, acessa outros sentimentos negativos da adolescência, da infância onde tem registros de algum sentimento igual ou parecido aumentando mais sua dor. São processos, normalmente, inconscientes, mas que fazem parte do lixo emocional que carregamos, das nossas sombras, das nossas repressões, onde um dia nos sentimos rejeitados, abandonados, desvalorizados, abusados, violentados, etc. Tudo isso vai aumentando a dor, a frustração, o desânimo.

Com todas essas emoções negativas damos brecha para seres obsessores (espíritos desencarnados que vibram na mesma frequência, nos mesmos sentimentos e precisam dessa energia para se alimentarem) entrarem em nosso campo. Tudo eles farão para que a pessoa se deprima cada vez mais, intuindo, manipulando, controlando e muitas vezes levando ao suicídio.

 Nossa energia negativa é alimento para eles. Vale ouro!!!

2. Por outro lado, a pessoa acessa registros de memórias de outras vidas, ou seja, acessa a dor de uma outra encarnação onde ainda mantém sentimentos semelhantes. Chamamos de processo auto obsessivo. Dores e sentimentos que o espírito carrega de outras vidas que estão influenciando sua vida aqui. O nosso corpo foi criado para suportar a carga deste aprendizado, desta encarnação. Quando é jogado sobre ele um peso extra não aguenta. Adoece, sucumbe. Como uma ponte, cuja estrutura foi feita para aguentar 10 toneladas e jogam sobre 12 ou mais. Certamente que irá quebrar, balançar e até mesmo ir ao chão.

3.Cada reencarnação aqui na Terra é um processo de aprendizado, cujo “currículo” é definido e pré-acordado antes com a família onde iremos nascer e conosco mesmo. Definimos um programa de vida e, digamos, cláusulas, para que quando você se desviar do seu propósito lhe seja chamada à atenção. O Universo vai dando pequenos sinais que, na maioria das vezes, devido a correria e estresse não damos ouvidos, não escutamos, não nos permitimos sentir. Então vem a vida e trás uma doença onde a pessoa é obrigada a parar e reavaliar sua vida. Ela é vítima de um Deus malvado e vingativo¿ Claro que não! Foi ela própria que criou essa cláusula.

Portanto, depressão tem cura sim quando apagamos e despolarizamos esses registros de memórias e cortamos esses laços energéticos que nos prendem a dor de um passado e a obsessores, iniciando pela apometria e, na sequência, o tratamento se faz com outras técnicas terapêuticas.

Importante ressaltar que a pessoa precisa querer sair da dor, seja ela qual for. Claro que muitas vezes o depressivo não está nem respondendo por ele mesmo e quem procura o tratamento é um familiar ou alguém próximo que quer ajudar. Mas, a partir do momento que a pessoa retoma a consciência, mostramos e damos ferramentas para ela assumir o seu poder pessoal e entender que a cura está nela.

À medida que a pessoa vai melhorando o psiquiatra começa a diminuir a medicação até sentir que não é mais necessária.

Assim como a depressão todas as doenças mentais diagnosticadas pela psiquiatria que não tenham lesões no corpo físico, são passíveis de cura, pois nossos tratamentos iniciam pela cura dos corpos sutis (seis corpos que temos além do corpo físico).

Eluza Stello
Terapeuta Holística

.

Quer agendar uma consulta?
Por favor, preencha o formulário abaixo.